Cobrança em espécie divide a opinião de taxistas

A nova proposta do Uber de oferecer aos passageiros a opção de pagar com dinheiro pelo serviço divide a opinião entre taxistas.

Alguns dos taxistas que fazem ponto próximo ao Shopping Sumaré, na avenida Tancredo Neves, acreditam que a nova forma de pagar pela plataforma não interferirá muito.

Segundo o taxista Albert Silva, de 28 anos, que roda aproximadamente há dois anos, não há problema algum em os motoristas do Uber aceitarem dinheiro ou não. "Nós já competimos com transporte clandestino antes do Uber, por isso não vejo muita diferença se eles aceitarem dinheiro dos clientes", disse o motorista, meio desapontado com a atual situação da categoria em Salvador.

Outro taxista que também estava no local, Gilmar Santos, 48 anos, também concordou que a nova proposta de serviço não vai influenciar a concorrência. "Não vai mudar nada", acrescentou.

Já o taxista Eduardo Oliveira, 40 anos, que faz ponto no bairro do Rio Vermelho, afirmou que a concorrência é desleal. "Pagamos à prefeitura, Inmetro e Detran, e o Uber é um serviço que não tem fiscalização", finalizou.

Fonte: A Tarde Online

Data: 06/07/2016

Talvez você gostasse de ler também:

  • Taxistas realizam protesto contra a nova regulamentação Taxistas realizam protesto contra a nova regulamentação
  • Taxistas fazem carreata por morte de colega Taxistas fazem carreata por morte de colega
  • Taxista é morto durante assalto na Federacão Taxista é morto durante assalto na Federacão
  • Campanha AMT: Sou taxista, sou legal Campanha AMT: Sou taxista, sou legal
  • Ibametro vistoria taxímetros em Salvador Ibametro vistoria taxímetros em Salvador
  • Multa a motoristas do Uber pegos por fiscais será R$ 2.500,00 Multa a motoristas do Uber pegos por fiscais será R$ 2.500,00
  • Avanço do Uber leva taxistas ao interesse pela regulamentação do aplicativo Avanço do Uber leva taxistas ao interesse pela regulamentação do aplicativo
  • Taxistas contra-atacam vantagens do Uber Taxistas contra-atacam vantagens do Uber

Com apenas R$ 4,00(quatro reais) por mês, você já começa a proteger a si próprio e sua família. Saiba mais...